Técnicas Expert Revelada Para a Orquídea Florir – Aprenda Aqui

Manual Completo de Como Cuidar de Orquideas

Assim como nós, infelizmente, as orquídeas também envelhecem. Embora a planta tenha a capacidade de reflorescer por décadas, a flor propriamente dita tem um tempo de vida definido. Algumas duram mais, outras menos, dependendo da espécie ou do híbrido.

Há, contudo, alguns cuidados que podemos tomar para prolongar o período áureo de uma floração. Vamos listar, nos tópicos a seguir, algumas dicas para termos orquídeas floridas e bonitas por mais tempo.

1. ORQUÍDEAS E ÁGUA

Esta é uma relação complicada. Embora a água seja um elemento fundamental para todo ser vivo, a quantidade fornecida deve ser bem dosada, no caso das orquídeas. Em excesso, a água pode ocasionar o apodrecimento das raízes, o que resultará no decaimento da planta, inclusive prejudicando sua floração.

Além disso, o hábito de molhar as flores durante a rega não é favorável à conservação de sua beleza. A umidade nas pétalas e sépalas da orquídea propicia o desenvolvimento de um fungo chamado Botrytis cinerea, conhecido por causar aquelas pequenas pintas amarronzadas nas flores. Por este motivo, é aconselhável proteger as orquídeas da chuva, durante o período em que estão floridas. Este é um problema apenas estético, que não prejudica a saúde da planta como um todo.

2. ADUBANDO ORQUÍDEAS FLORIDAS

Existe uma controvérsia a respeito deste tema. Alguns orquidófilos afirmam que não é necessário adubar as orquídeas no período em que estão floridas. Outros afirmam que, na natureza, elas continuam a receber nutrientes normalmente, com ou sem flores.

O fato é que, com um número razoável de orquídeas na coleção, torna-se muito difícil ficar separando o que está florido para não adubar. Por uma questão de preguiça praticidade, eu particularmente não dou um tratamento diferenciado às minhas orquídeas. Continuo regando e adubando todas com a mesma periodicidade, independentemente do estágio de desenvolvimento ou floração.

Loading...


No entanto, quando o assunto é estética, devemos, sim, tomar cuidado ao adubar orquídeas floridas. É importante evitar borrifar o adubo diretamente sobre as flores, já que esta e outras substâncias químicas, tais como defensivos, podem causar manchas nas pétalas e sépalas. Novamente, é uma questão apenas de aparência.

3. ORQUÍDEAS E FRUTOS

O amadurecimento dos frutos é estimulado por um gás que eles mesmos produzem, chamado etileno. Os produtores conseguem controlar a maturação das laranjas, bananas e maçãs através da aplicação deste gás, em câmaras controladas. É por isso que se costuma embrulhar as bananas em jornal, para acelerar seu amadurecimento. O próprio gás etileno que elas produzem, concentrado pelo ambiente fechado, ajuda na maturação dos frutos.

Ocorre que o etileno também age sobre as flores, acelerando seu envelhecimento. Por esta razão, é aconselhável manter as orquídeas floridas longe das frutas. Embora produza belíssimos arranjos, esta combinação não é benéfica quando o intuito é prolongar a juventude das flores.

Da mesma forma, diversos gases presentes no ar poluído das grandes cidades podem ocasionar a senescência precoce das flores de nossas orquídeas. Infelizmente, quanto a esta questão, pouco se pode fazer. De qualquer forma, mantê-las dentro de casa, ao contrário de expostas em varandas ou janelas voltadas às ruas com circulação de carros, ajuda a proteger as flores dos gases tóxicos, prolongando sua vida útil.

Um último evento que pode abreviar a vida de uma flor é a polinização. Na verdade, é para isso que elas foram feitas, para serem fecundadas e gerarem frutos e sementes. Mas, no exato momento em que uma flor é polinizada, suas pétalas e sépalas começam a se fechar. Vão enrugando e secando, já que sua missão foi cumprida.

Fonte: orquideasnoape.com.br

Se você tem alguma Orquídea com folhas murchas e moles.

Para tentar não perder a muda e também salvar a “mãe”, minha sugestão é a seguinte…

Quando temos uma orquídea que está em floração ou com muda devemos evitar o manuseio, trocar de vaso ou de substrato é um dos exemplos.

Isso porque ela está em uma fase onde quase todas as energias se concentram na flor/muda.

Meu conselho é não retirar do vaso, a não ser que seja um caso extremo e se a orquídea não responder a esses procedimentos:

ADUBAÇÃO
Aconselho o uso do adubo de raiz na rega semanal.
Isso porque geralmente a desidratação está associada a baixa qualidade das raízes.

Agora um detalhe, provavelmente você vai precisar mexer na dosagem!

Isso porque a maioria dos adubos de raízes são formulados para aplicação quinzenal e não semanal.
Então o que fazer?

Primeiro você precisará ler o rótulo.

Exemplo:
O adubo diz que devo aplicar a cada 15 dias, então eu terei que fracionar!

Se estiver escrito uma colher de café para um litro de água a cada 15 dias, como vou diminuir o intervalo para a metade do tempo, vou ter que diminuir a quantidade de adubo pela metade.

Ou seja, você vai usar 1/2 colher de café para um litro de água.

Mas o adubo é líquido? Como vou medir 1/2 colher de líquido?
Certo, nesse caso, dilua 1 colher de café em 2 litros de água em não e um litro.

Agora que aprendeu a diluir para a metade da dosagem, escolha um dia da semana e sempre nesse dia, faça a adubação para raízes.
Aplique com borrifador nas folhas e molhe bem o vaso também, como se estivesse fazendo uma rega normal.

REFORÇO NAS RAÍZES E NA VITALIDADE DAS FOLHAS
Além da adubação, aconselho a aumentar a umidade, pois as folhas moles, além de indicar sistema radicular (raízes) debilitado, pode ser sinal de que o ambiente está seco.
Entendo que ambiente seco não quer dizer vaso sem umidade.
Meu conselho para resolver isso é nos dias de temperatura alta (não pode fazer isso em dias frios), é borrifar, todos os dias pela manhã as folhas com água e vitamina do complexo B (vende na farmácia).

O complexo B ajudará também nas raízes (conforme escorrer pelas folhas).

Dilua 3 gotas em 1/2 litro de água. Coloque em um borrifador e diariamente (se o dia estiver quente), aplique a solução diretamente nas folhas
Suspenda isso apenas no dia da adubação semanal.

UMIDADE DO AMBIENTE
Além das duas dicas anteriores, precisamos aumentar a umidade no ambiente!
* Se tiver umidificador, pode, nos dias quentes, ligá-lo por 1-2 minutos próximo ao vaso.

Outra alternativa é usar um pote com brita…
Você precisará de um pote vazio de sorvete, pedra brita e água.

Pegue um pote de sorvete.
Faça dois ou 3 furos nas laterais (para que não haja o risco de ter água em excesso), eles precisam estar a mais ou menos 4 dedos de altura do fundo.

Coloque pedra brita de forma que preencha quase todo o pote. O importante é a pedra ficar alguns centímetros acima dos furos que você fez (porque a água não pode chegar na altura das pedras).

Coloque no pote mais ou menos 200ml de água.
Agora acomode o vaso da sua orquídea em cima das pedras.

Uma ou duas vezes na semana você precisará repor a água.
A água vai evaporando aos poucos e a umidade em volta da orquídea aumentará.

É importante que a água nunca encoste no fundo do vaso e nem nas raízes da orquídea!
Aconselho ler sobre esta solução também nessa matéria, para isso é só clicar AQUI.

Essas dicas devem ser o suficiente para que em algumas semanas a sua orquídea apresente resultados de melhoras.
Isso pode ser através da emissão de raízes novas ou no aumento da rigidez das folhas.

Fonte: cynthiablanco.blogspot.com.br

Loading...