Como Montar Seu Orquidário Passo a Passo

Manual Completo de Como Cuidar de Orquideas

Vamos falar um pouco de construção de orquidário, não claro entrando em detalhes técnicos de construção, nem muito menos nomes complicados e orçamentação de materiais, mas sim uma noção geral de um orquidário que de fato cumpra com sua função que é a de favorecer as orquídeas com um ambiente adequado para o seu cultivo.

A questão de um ambiente favorável para o cultivo pode ser conseguido de várias maneiras e em vários ambientes, o que torna o seu cultivo possível até em apartamentos(isto será discutido em postagem complementar), mas para isso é preciso ter em mente qual o tipo de ambiente em que as orquídeas gostam de viver.

Quando falamos em orquídeas falamos em mais de 35.000 espécies, fora os centenas de milhares de híbridos existentes o que naturalmente nos garante que existem plantas vivendo nos mais variados ambientes pelo mundo, mas de modo geral podemos dizer que o ambiente de orquídea precisa ser úmido, com umidade adequada média em torno de 80 à 85% e que se necessita de um sombreamento adequado para evitar danos causados pelo sol e que precisa ser um ambiente bem ventilado, sem excesso de ventos.

Tendo todos esses fatores em mente então podemos começar a planejar como devemos fazer nossos orquidários, o que já se começa com a escolha do local, sendo que quando possível poder escolher um local que já atenda boa parte desses fatores acima facilita e barateia muito a obra, mas quando não possível é possível fazer correções para melhorar o ambiente.

O material a ser utilizado é outra coisa importante, porque ao fazer o orquidário o material utilizado precisa ser apropriado para atender aos requisitos das orquídeas que é, fornecer o sombreamento e proteção, manter uma umidade mais alta dentro do orquidário, proteger as plantas da chuva dreta e ser resistente aos fenômenos do clima.

Falando ainda quanto aos materiais podemos citar como indispensável ao cultivo a tela de sombreamento(sombrite ou aluminet) que em geral se usa do 50% a 80% dependendo da região e altura do orquidário; o filme agrícola ou plástico agrícola, indispensável para fazer a proteção de chuva, e também ajuda na questão do sombreamento e na manutenção da temperatura do orquidário; telas de proteção contra entrada de animais, outro material interessante para o orquidário que pode ser a própria tela de sombreamento, ou tela de galinheiro ou o uso das duas; estruturas de sustentação que podem ser madeira, metalon, alumínio, alvenaria ou o uso de mais de 1 desses na montagem.

Quanto ao tipo de orquidários existem os antigos ripados de madeira, que praticamente não se recomenda mais seu uso devido a serem construções mais rústicas e costumam ser caras por usar muita madeira, fora o problema da durabilidade.

O telado é o tipo mais habitual de orquidários existentes no momento. é o mais prático e adequado para o cultivo, além de ter uma durabilidade maior e a manutenção é facilitada. Os telados podem ser simples apenas com tela na cobertura; fechados com telas na cobertura e nas laterais e com dupla cobertura, sendo a cobertura externa com a tela de sombreamento e a cobertura interna com o uso do plástico agrícola ou telha transparente para proteção da chuva.

Loading...


É possível ainda o uso de plástico agrícola nas laterais como cortina que podem ser levantados e abaixados, auxiliando na proteção de ventos e chuvas e também no sombreamento. Existem ainda as casas de vegetação fechadas e climatizadas, que são construções caras, normalmente feitas por firmas especializadas que normalmente só compensa para grandes empreendimentos, sendo que a realidade no momento são os telados.

Veja também A primeira Parte da Matéria Como Montar seu Orquidário em Casa.

telado com lateral aberta foto: Rita de Cassia

 

exemplo de telado coberto nas laterais com cobertura dupla, a externa com tela de sombreamento e a interna com filme agrícola. Foto Andrew Fogtman DK

 

Outra consideração importante e quando possível é o posicionamento do orquidário no terreno que deve ser sempre com seus lados menores voltados para as faces sul e norte para que se tenha um aproveitamento melhor da luz solar que nessa maneira irá caminha por igual por todo orquidário sem que umas plantas façam sombra sobre as outras ou que este efeito seja mínimo, mas como muitas vezes isto não é possível, ou por falta de espaço, ou por questão de ventos ai então se for o caso de vento deve-se evitar posicionar as laterais maiores do orquidário virados para a direção dos ventos mais fortes predominantes na região. Em geral em regiões costeiras do sul e sudeste do Brasil que é influenciado pelo clima das frentes fria o vento sudoeste e sul são os principais ventos fortes habituais.

Em fim tendo em vista o conhecimento desses fatores todos e dos materias é hora de planejar o orquidário. O importante nesta fase é você ter em mente o que vc ta disposto a fazer, as medidas, o material, o quanto vai custar e o quanto você está disposto ou pode pagar pela construção. A coisa mais importante para isto é pensar que a construção não precisa ser requintada cheia de frescuras, e sim funcional e quanto a questão da estética quando possível deve ser incrementada, mas o principal é ele ser funcional e servir ao propósito previsto. todo planejamento começa com muita observação dos locais do clima e da ideia do que se pretende fazer e como e em seguida tirando medidas e pedindo ajuda caso necessário para esboça isto em papel.

Desenhos esboçados são uma ajuda muito bem vinda que ajuda muito na hora da construção, plantas para os que sabem fazer ou tem gente que pode ajudar são outra opção, mas a importância de se ter um esboço ou um trabalho detalhado é importante para se ter ideia do material a ser comprado e pra saber o que se quer e evitar surpresas desagradável na construção.
Como exemplo de planejamento coloco aqui o desenho do meu próprio orquidário que foi muito importante para evitar problemas e pra se ter noção do que precisava com medidas corretas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

exemplo de esboços para facilitar na hora de construir.
Após ter feito o planejamento e tomado a decisão de como vai ser feito é importantíssimo escolher bem o profissional que irá fazer a obra ou os profissionais, pois, por exemplo, quem for usar madeira deve ter em mente que a pessoa que irá fazer precisa trabalhar bem com madeira para evitar prejuízos futuros que encareceram a obra. em relação aos outros materiais a mesma coisa e quanto a colocação das telas e filme agrícola que é o ponto mais importante a pessoa tem que saber colocar para evitar problemas.
Normalmente os maiores problemas acontecem nessa parte com a colocação do filme agrícolas e sombrite, porque normalmente não são bem esticados e fixados e então assim com chuva e tempo eles vão cedendo e fazendo barriga acumulando água e finalmente rasgando. Esses materiais para cumprirem suas funções devem ser completamente esticados ao seu máximo possível e fixado de modo que não cedam com o tempo. Existem várias maneiras para isso como grampeador de madeira para caso de madeira, parafusos com ripas prendendo o plástico na estrutura bem firme, uma peça chamada perfil mola  e outras maneiras, mas o fato é que eles tem que estar no máximo do esticado possível.
Tendo todas essas coisas em mente é hora então de construir e para que se construa é interessante se ter alguns aspectos em mente que tornam um orquidário funcional.
Fundação: por ser uma estrutura leve de pouca importância em relação a peso as fundações podem ser simples com o simples enterro das colunas a certa profundidade para garantir boa firmeza e evitar problemas com vento, ou pode-se também caso a região seja mais sujeita a ventos concretar essa fundação para dar mais segurança e estabilidade. Em geral uma profundidade recomendada é de 50cm de profundidade que garante uma boa sustentação.
detalhe das colunas cravadas a 50cm de profundidade no solo.
Sustentação: Basicamente são as colunas e o engradamento que é como uma estrutura para receber um telhado bem leve, ou seja é uma estrutura relativamente simples.
Estabilização: é crucial o uso da cinta de amarração, nesses exemplos feito de madeira mesmo que é o que liga todas as colunas e o engradamento entre si tornando tudo uma única coisa e assim estabilizando a construção. é importante quando possível também fazer a amarração das colunas na base com vigas baldrames se possível, pequeno muro de alvenaria ou até madeira mesmo, sendo mais prático ou a viga de concreto ou o muro quando possível, sendo aconselhável isto em regiões de mais ventos.
Cobertura: feito toda parte estrutural é hora de fazer a cobertura e para um orquidário funcional a dupla cobertura é a mais indicada. Este tipo de cobertura compreende de uma cobertura externa que é feita com a tela de sombreamento sombrite ou aluminet, em geral com porcentagem de 50% a 70%, sendo o mais indicado o 50% quando se usa o filme agrícola.
A cobertura interna corresponde a cobertura com filme agrícola ou telha transparente com a função de proteção contra a chuva e auxilio no sombreamento também. Agora a pergunta que se faz é de qual o porquê da tela em cima e plástico em baixo e não o contrário. Não seria a mesma coisa? A resposta é não e uma razão simples de entender explica isso.

A tela de sombreamento seja qual for ela tem função de sombreamento e consequentemente ela ou absorve calor, como o sombrite, ou reflete calor, como o aluminet o que é benéfico porque chega menos calor ao filme agrícola ou telha, o que aumenta muito sua vida útil, além de que quando ocorre chuvas pesadas, principalmente granizos se caso o filme ou a telha estejam por cima o plástico ou a telha podem se danificar, por mais que estejam colocados corretamente e já as telas de sombreamento são mais resistentes a queda das pedras de gelo do granizo. Tem um vídeo que coloquei neste blog que mostra exatamente isso num temporal de granizo que caiu e eu filmei caindo no orquidário.

Esse conjunto da dupla cobertura alem de proteger da chuva e fornecer o sombreamento eles promovem uma certa manutennção da temperatura, evitando que o orquidário esquente demais no período do verão e que esfrie demais no período do inverno, além de também fornecer uma boa manutenção e melhor controle dos níveis de umidade do ar, mas para esse sistema funcionar de forma adequada e não promover o efeito inverso é recomendado que exista uma distância entre as duas coberturas de no mínimo 30cm, sendo o mais recomendado entre 50cm.
Altura do orquidário: em geral a altura mínima recomendada é de 2,5m de altura, entretanto dependendo da região pode-se variar devido a temperatura. Em regiões mais quentes com invernos mais amenos com poucos períodos frios o ideal é um orquidário mais alta possível para uma melhor ventilação e melhor manutenção da temperatura, enquanto em locais de verão ameno e invernos bem rigorosos em geral orquidários mais baixos são o indicado para evitar excesso de frio.
Laterais: as laterais podem ser abertas, ou cobertas, sendo que as cobertas em geral são mais indicadas para uma proteção contra entrada de animais maiores e proteção de excesso de ventos, além de ser um auxiliar no sombreamento do orquidário, sendo que para essas laterais pode-se usar uma tela de sombreamento mais fraca como 18%, 30% ou outro material e o uso de telas metálicas junto podem auxiliar na proteção caso possível.
Chão: O chão do orquidário é outra parte importante e deve receber maiores cuidados, pois ele será o principal componente para manutenção de uma umidade adequada dentro do orquidário. Em geral o chão precisa ser bem drenado para evitar alagamentos, mas precisa ao mesmo tempo reter água de modo que não alague e que ela evapore de modo continuo e lento apenas saindo o excesso pela drenagem.
Em geral esse chão se consegue com o uso da brita de preferência a zero e a 1. Entretanto, não basta apenas jogar brita no chão, porque em pouco tempo o mato tomaria conta e a brita se misturaria a terra e com tempo ria sendo levada. Em geral esse chão começa com bom nivelamento e um aterro para um pequeno aumento do nível do chão em relação ao resto. é muito útil o uso da areia para esse fim.
Entre esse aterro pode-se instalar tubos de drenagem com cano de pvc, principalmente em locais do terreno sujeito a alagamentos, para evitar que na primeira enxurrada ela leve embora o chão do orquidário. Em seguida é aconselhável o uso da lona plástica preta que inibe bastante o crescimento do mato e a mistura da brita com a terra. Essa lona deve ser furada em vários pontos para a drenagem lenta do excesso da água.
Em seguida se joga uma boa camada de brita até o chão fica com uma boa camada sem aparecer o plástico e que fique bem firme. Além de dar uma boa estética diminui muito o problema do mato e ele cumpre com sua função de manutenção da umidade do ar dentro do orquidário.

 

 

 

Desinfestação: é importante quando se esta na etapa de fazer o chão e final fazer uma desinfestação do local, podendo  se usar a água sanitária pulverizando em todas as etapas de montagem do chão para garantir um ambiente mais livre de doenças para as orquídeas.
Entendendo esses processos e aspectos das etapas da construção do orquidário basta acompanhar bem a obra, ajudando se possível e depois desfrutar do ambiente favorável e funcional que com certeza as orquídeas agradeceram com desenvolvimento satisfatório e belas flores.
Agora para os que não possuem espaço ou condições de fazer orquidários, mas possuem varandas, varandões, terraços cobertos com telhados, garagens e janelas não se preocupem, porquê é possível também o cultivo de orquídeas, entretanto esses são ambientes que possuem uma dinâmica toda especial, mas que será discutida em detalhes na próxima postagem que irá complementar esta gente.
Fonte e Créditos para: orquideassemmisterio.blogspot.com.br
Loading...

5 comentários em “Como Montar Seu Orquidário Passo a Passo

  • Pingback: Como construir um Orquidário Caseiro - Tudo Sobre Orquideas

  • 01/07/2015 a 09:20
    Permalink

    A materia me foi util.Obrigada.

    Responder
  • 31/07/2015 a 22:24
    Permalink

    Gostaria de saber se o filme agrícola que é colocado abaixo do sombrios pode ser substituído pelo plástico transparente fino (10 mm) e se devo fazer furos nele para entrar alguns pingos de chuva ou deixar o orquidário sem recebimento de água de chuva. Agradeço a atenção.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *